t e a t r o   f r a n c i s c o   n u n e s  
 
 
   
    Arquitetura cênica, acústica, luminotecnia, cenotecnia, restauro.
    Projeto executado para a Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, em parceria com a Unimed BH
 
        Local: Parque Municipal Renê Gianetti - Belo Horizonte - MG 
     Data do projeto: março/2012 a dezembro/2013
     Data da conclusão da obra: maio/2014
     Área construída: 1625 m2
Arquitetos responsáveis: Mariluce Duque
                                     Raul Belém Machado
Colaboradores: Alessandra Madureira
                        Thabita Lança
Consultoria Acústica: Marco Antônio de Mendonça Vecci
Restauração dos painéis em mosaico:
   Sandra Fontana Plazas/Espaço Tempo
 
 
 
 

fachada frontal (foto: Drika Vianna)

 
 
 
 

palco e platéia (foto: Samuel Costa - Jornal Hoje Em Dia)

 
 
 
 

                                     foyer (foto: Drika Vianna)

foyer (perspectiva)                               

 
 
 
 

 
 

                                     fachada posterior

  pátio interno                                   

 
       
 

palco e platéia (foto: Drika Vianna)

 
       
       
  um pouco de história ...  
 
 
  Em 1941 o prefeito Juscelino Kubitscheck leiloa o Teatro Municipal, para construir o projeto mais moderno e arrojado de Oscar Niemeyer, que seria o Palácio das Artes.

Em 1941 iniciam-se as obras do novo teatro, que são paralisadas em 1945 por falta de recursos.

O então Teatro Municipal é reformado e em 1942 se torna cinema, o Cine Teatro Metrópole.

Belo Horizonte fica então, sem uma casa de espetáculos.

Sob a pressão da sociedade e artistas, em 1947 o então prefeito Otacílio Negrão de Lima manda erguer, em caráter provisório, o Teatro de Emergência, com projeto do arquiteto Luiz Signorelli.

O Partido Arquitetônico inspirado no modernismo causa estranheza aos observadores acostumados ao traço eclético do arquiteto.

Em 30 de setembro de 1950 o Teatro de Emergência foi inaugurado.

O Teatro recebeu o nome em homenagem ao Maestro, Compositor, Clarinetista e Professor Francisco Nunes Júnior (1875-1934 Diamantina – MG).

Com a inauguração do Palácio das Artes, em 1971, o teatro Francisco Nunes entra em decadência. É tentada uma reforma em 1974, que não é realizada devido aos custos. Posteriormente, graças ao protesto da classe artística, o teatro não é demolido e é reformado em 1982.

Em março de 2009 o Teatro Francisco Nunes é interditado devido a questões estruturais relativas a estrutura de madeira da cobertura.

Em 2012, através de iniciativa da Unimed-BH, é proposta à Prefeitura de Belo Horizonte a reforma e restauração do teatro, com previsão de entrega à população para janeiro de 2014.

 

 

 

Fontes:

Livro do Transitório ao Permanente teatro Francisco Nunes 1950-2000 Bernardo Novais Mata-Machado
Site http://www.allaboutarts.com.br
Patrimônio Histórico Municipal do Município de Belo Horizonte

 


detalhe do projeto original

 


o teatro na década de 60

 


inserção do teatro no parque municipal renê gianetti