HOME > PROJETOS > PROJETO LUMINOTÉCNICO

Centro Cultural Banco do Brasil – Belo Horizonte

Projeto luminotécnico para as galerias de arte e para as fachadas do edifício.

Local: Praça da Liberdade

Cliente: Banco do Brasil

Empresa Contratada: Lazúli Arquitetura

Àrea do projeto: 5.870,00 m²

Data do projeto: Maio/2008 – Novembro/2011

Data da conclusão da obra: Agosto/2013

Responsáveis Técnicos:

Projeto Luminotécnico das Fachadas: Mariluce Duque, Sandra Rios

Colaboradores: Alessandra Braga Madureira, Juliana Marques, Marcos Ulhôa

Projeto Luminotécnico das Galerias: Mariluce Duque, Sandra Rios

Colaboradores: Alessandra Braga Madureira, Juliana Marques, Marcos Ulhôa

Projeto Cenotécnico: Mariluce Duque, Raul Belém Machado

Cálculo Estrutural: Márcio Lúcio Gomes

Fotos: Lazúli Arquitetura

Fornecedores:

Mobiliário/cadeiras: Giroflex

Ilumininação: Templuz

Montagem cenotécnica: Serralheria São Lucas

CCBB – Belo Horizonte:


Implantado na antiga Secretaria de Segurança e Assistência Pública, o Centro Cultural Banco do Brasil de Belo Horizonte – CCBB – BH, edifício datado de 1930 – arquiteto Luiz Signorelli – situa-se na Praça da liberdade em Belo Horizonte. A Lazúli Arquitetura foi responsável pelos projetos de arquitetura cênica e acústica – teatro italiano e teatro multiuso, iluminação das galerias de arte e fachadas do edifício. Apesar das limitações formais da edificação existente, foi possível implantar soluções arquitetônicas que atendessem as demandas espaciais impostas pelos teatros numa interação entre a arquitetura e a engenharia . As imagens ilustram o grau de intervenção estrutural necessária à edificação para possibilitar seu uso enquanto espaço cênico. A inauguração do CCBB BH foi no de ano de 2013.


Iluminação das fachadas


A valorização da arquitetura e o destaque dos principais elementos arquitetônicos da edificação são a proposta conceitual da iluminação das fachadas do CCBB. Edifício neoclássico datado de 1926, de autoria do arquiteto Luíz Signorelle, trás nas sua volumetria platibandas e beirais de cachorros, cimalhas, volutas e balaustradas, elementos que, ora serviram de apoio para ocultar os projetores, ora foram destaque da iluminação. Utilizamos o sistema Led para varrer os panos cegos de fachadas, platibandas e vãos de janelas, pela sua eficiência energética, boa extensão dos fachos de luz e robustez das peças, ocasionando pouca ou nenhuma manutenção. Na fachada frontal, utilizamos pontualmente o sistema vapor metálico para um maior destaque dos pilares, trabalhando uma “luz contra”, instalando os refletores atrás dos pilares e tirando partido das sombras para destacar sua silhueta.


Iluminação das galerias de arte:


Proposta no sistema de trilhos eletrificados, distribuídos em linhas e paralelas às alvenarias, o sistema apresenta flexibilidade às montagens e instalação das obras de arte nas galerias.